Facebook Pixel Fallback

Estudantes do curso de Psicologia publicam capítulo de livro sobre empoderamento feminino a partir de análise do filme “Valente”

Luana e Marcela estão no quinto ano da graduação e em conjunto escreveram o capítulo que visa aprimorar a concepção de empoderamento e do lugar social da mulher



À esquerda a estudante Luana Maria Vieira Dagina, e à direita a estudante Marcela Jacob Navarro

Cursando o último ano da graduação em Psicologia, Luana Maria Vieira Dagina e Marcela Jacob Navarro publicaram um capítulo de livro intitulado “Valente: apontamentos acerca do empoderamento feminino na perspectiva contemporânea dos filmes de princesa”, a partir de uma análise profunda do filme “Valente”, da Disney, buscado salientar como ocorre os estereótipos das mulheres nas animações e valorizando o empoderamento feminino. 

As duas estudantes viram a oportunidade de escrever o capítulo para o livro "Leituras sobre a Sexualidade em Filmes, Animações e Música - Volume 11", do Grupo de Estudos e Pesquisa em Sexualidade, Educação e Cultura da UNESP (GEPESEC), em um post do Instagram do grupo. Ambas aceitaram o desafio tendo como objetivo transformar o olhar social construído ao longo das décadas em filmes de princesas, aprimorando a concepção de empoderamento e do lugar social da mulher.

Navarro pontua que, normalmente, há uma abordagem estereotipada em filmes de princesas. “Eles ensinam que as mulheres devem ser dóceis, sorridentes, belas e sempre jovens, bem como, muito relacionado com ideais de beleza e comportamento, a raça é um aspecto representado de maneira muito estereotipada, principalmente as animações que retratam as princesas, em sua grande maioria com um padrão europeu ou norte-americano, praticamente inalcançável por diversas meninas brasileiras, por exemplo, o que faz com que elas não se sintam representadas por estas personagens que rondam o imaginário infantil”, afirma.

Para a estudante, a importância do estudo é a evolução do estereótipo de princesa para personalidades e emoções reais, “considerando uma sociedade que vive conflitos de valores cotidianamente, as princesas atuais seguem o modelo de uma mulher que busca o equilíbrio entre sua individualidade e suas emoções, o que pode contribuir com a ressignificação de alguns valores tradicionais e enraizados socialmente. É uma mudança lenta, e que até o momento tem contribuído para certa transformação nas representações sociais das próximas gerações”, complementa Navarro.

O sentimento de ter o estudo publicado provocou um misto de emoções nas graduandas, que ficaram surpresas e felizes com a oportunidade. “Não esperávamos publicar, muito menos no último ano da graduação, o que gerou uma surpresa ao vermos a palavra “aprovado” em nossos e-mails. Mas também é de muita alegria, pois,  além de podermos contribuir com a transformação da sociedade, pudemos construir uma ótima relação entre nós e buscamos doar o nosso melhor desempenho”, pontua Vieira.

Para as discentes a criação de capítulos como esse reforça a importância da mudança de olhar em toda a sociedade, “a contribuição em formar um olhar crítico e transformador na sociedade, de tal forma, que os indivíduos transformados, não tenham medo de questionar o que veem, escutam e falam, para que as trocas nas relações sociais sejam evoluídas e não recheadas de preconceito e repetições históricas”, finaliza Vieira.


Link deste artigo: https://unisagrado.edu.br/site/conteudo/12249-estudantes-do-curso-de-psicologia-publicam-c.html
Tags: UNISAGRADO, Psicologia, Capítulo de livro, Feminismo, Empoderamento


Madre Clélia
Cebas

O UNISAGRADO, pertencente ao Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus (IASCJ), é certificado como Entidade Beneficente de Assistência Social na área da educação.

© 2021 | UNISAGRADO. Todos os direitos reservados.

Site Seguro